skip to Main Content

Planejamento de mídia: as diferenças entre mídia própria, paga e ganha

Você sabia que as campanhas de marketing mais bem-sucedidas são as que melhor exploram cada uma das formas de mídia?

Um dos maiores erros que empreendedores iniciantes cometem é subestimar o poder dos meios de comunicação, resultando em um marketing mal definido e em oportunidades perdidas. Por isso, é importante ter atenção ao planejamento de mídia e às diferenças entre mídia Própria, Paga e Ganha.

Boa parte da projeção de uma marca passa pela escolha dos canais usados para levar a solução ao público. Nesse contexto, aprender as melhores maneiras de explorá-los pode ter impacto no número de clientes e no faturamento.

Quer saber como usar essas mídias no seu negócio e qual a diferença entre elas? Então, continue a leitura.

Mídia Paga

Em linhas gerais, o termo Mídia paga (Paid Media) diz respeito ao uso de meios que sejam resultados diretos de investimentos próprios, como anúncios, links patrocinados, parcerias pagas, ou até em formas mais tradicionais, como comerciais de TV, rádio, revistas etc.

É aqui que entram as ferramentas de publicidade, geração e administração de anúncios digitais, como Google Ads e Facebook Ads. Esse tipo de canal é interruptivo, ou seja, o fluxo de comunicação é iniciado da empresa para o consumidor, não o contrário.

Nesse caso, a pergunta que deve ser respondida é: “como expor o meu produto para o maior número de pessoas do meu público alvo?”.

Mídia Própria

Se você utiliza a internet há um tempo, certamente já tentou solucionar uma dúvida em um blog de uma empresa responsável por algum serviço que você usa. É disso que se trata mídia própria (Owned Media): usar canais próprios para resolver problemas de potenciais clientes.

O conteúdo criado pela marca é voltado a gerar valor e serve como um meio para avançar o lead pela jornada de vendas, com materiais específicos para cada etapa: descoberta, interesse, consideração e decisão. No geral, tem foco educativo e está inserido em uma estratégia de marketing de conteúdo.

Blogs posts, social posts, e-books, vídeos, podcasts e infográficos estão entre as possibilidades de mídia própria. O ideal é que os conteúdos sejam produzidos com regularidade, sempre tentando responder a pergunta: “como resolver os problemas da minha persona e gerar valor para o meu público?”.

Mídia Ganha

Sabe quando os seus amigos falam bem sobre algum produto que você fica morrendo de vontade de comprar? Esse é o efeito da mídia ganha (Earned Media), a forma mais orgânica e espontânea de garantir a presença de uma marca a partir do reconhecimento dos clientes.

Assim, a empresa passa a ser divulgada por terceiros, por meio de recomendações, feedbacks, posts em redes sociais, análises em sites específicos, notícias em matérias jornalísticas, entre outros. Geralmente, isso é fruto de conteúdos de qualidade, satisfação dos consumidores e trabalhos de marketing.

Além disso, parte do conteúdo passa a ser criado pelos próprios clientes, fornecendo feedbacks confiáveis e valiosos para seu negócio. Uma boa pergunta para alcançar esse resultado é: “como fazer com que as pessoas falem do meu produto?”.

Como você pode ver, as campanhas costumam ser estruturadas com base em gerar relacionamento com o público, por meio de planejamento e da escolha dos veículos mais adequados, podendo resultar em um processo objetivo e otimizado com resultados mais consistentes.

Nessa etapa, é interessante entrar em contato com uma agência para que a sua empresa receba uma orientação especializada sobre planejamento de mídia e economize tempo. Lembre-se de que os canais podem ser aproveitados simultaneamente: a mídia paga traz público para a mídia própria, que por sua vez, influencia no crescimento orgânico e na mídia ganha.

E você, quer ficar ainda mais por dentro das dicas sobre marketing digital? Confira nosso artigo sobre como integrar ações de marketing online e offline para atrair clientes e deixar a sua empresa mais lucrativa.

Back To Top